Almoço dos indicados ao Oscar

•04/02/2009 • Leave a Comment

Nesta semana aconteceu o almoço dos indicados ao Oscar 2009. E com ele veio os artistas nas roupas mais belas ou estranhas.

Penelope Cruz arrasou nesse modelito básico mas moderno e chique. A or do onunto também caiu super bem na pele e para a ocasião. Já Anne Hathaway escorregou um pouco na escolha do vestido. Corte muito reto e com rendas muito pesadas, sem contar esse tecido que cobre o colo e a cor escolhida. Deixou ela sem curvas e com aparência de velha.
Penelope Cruz e Anne Hathaway

MarizaTomei e Taraji Henson, a Queenie de O Curioso Caso de Benjamin Button também apostaram nas cores claras e em saias com cortes clássicos. Mariza Tomei acertou no tom do conjunto – branco brilhante – que valorizou a pele, e na blusa sem mangas, valorizando os braços. A altura da saia também ficou na medida. Já Taraji arrasou na saia, um pouco mais curta do que a da Mariza Tomei, mas acertou na cor e no corte, valorizando as pernas e a pele.Mas o erro ficou por conta da parte de cima do conjunto, que a deixou sem pescoço e parecendo uma corcunda.

Taraji P. Henson e Mariza Tomei

Os homens não ficaram de fora. Sean Penn saiu bem na foto e na roupa. Paletó preto e camisa polo. O clássico com o moderno. Já Mickey Rourke escolheu o modelo errado de paletó. A cor ficou ótima com a camisa, mas tem muita listra nesse look.

Sean Penn e Mickey Rourke

(para ver as imagens em tamanho maior, clique nelas)

[photos by] http://www.celebuzz.com

Coco Chanel

•04/02/2009 • Leave a Comment

Post rápido p/ uma notícia super legal. A atriz Audrey Tautou, que interpretou a Agente Sophie Neveu em “O Código daVinci”, está filmando um longa como a famosa estilista Coco Chanel.

Audrey Tatou - Coco Chanel

Coco Avant Chanel” contará a historia da estilista, desde sua infância até o seu auge no mundo da moda. O filme tem estréia prevista para maio desse ano.

Histórias vampirescas

•27/01/2009 • Leave a Comment

Não é de hoje que público adora histórias de vampiros. As histórias mexem com a imaginação e o coração de quem assiste. São histórias que podem ser interpretadas de várias formas e rendem roteiros diferenciados mas que prendem nossa atenção. A única ressalva nessas histórias são as paixões. Um vampiro se apaixona por uma mortal, e quando a mortal descobre o segredo, passa a viver em constante perigo. A diferença nesses roteiros são como os vampiros vivem na sociedade e como é viver na pele de um.

Entrevista com o Vampiro

As histórias de vampiro começaram a aparecer depois de “Drácula” de Bram Stoker. A história de Drácula é a mais fiel em relação as lendas e mitos sobre os vampiros, sem contar que é a obra vampiresca mais famosa da litaratura.

Mas nas histórias atuais, os vampiros mudaram. Alguns podem sair na luz do dia (mas não podem encontrar raios solares), não dormem em caixões ou nem dormem, não precisam de sangue humano para sobreviver, seus reflexos aparecem nos espelhos e não usam capas nem roupas escuras. Características alteradas para ficarem mais perto da realidade. Mas mesmo com essas diferentes características, algumas coisas não podem mudar. A aparência pálida mas perfeita, o corpo gelado, são charmosos e persuasivos. São rápidos e fortes, e seus sentidos são mais apurados do que o dos humanos.

Vou listar nove obras clássicas e atuais sobre os vampiros:

1. “Drácula”, de Bram Stoker
2. “Entrevista com o Vampiro”, de Anne Rice
3. “True Blood”, de Allan Ball (série)
4. “The Vampyre”, de John Polidori
5. “The Southern Vampire Mysteries”, de Charlaine Harris
6. “Buffy, a Caça-Vampiros”, de Joss Whedon (série)
7. “Rainha dos Condenados”, de Anne Rice
8. “Nosferatu”, de F. W. Murnau (filme)
9. “Crepúsculo”, de Stephanie Meyer

[ler ouvindo: “Bad Things” por Jace Everett]

^^

Olá, meu nome é Vivian e sou viciada em séries…

•18/10/2008 • 2 Comments

[ler ouvindo:]David Archuletta – Crush

Sou uma viciada em séries. Nunca gostei de assistir novelas, então partia para a TV a cabo para assistir as séries americanas.

Quando meu pai colocou TV a cabo aqui em casa, há uns 10 anos atrás, me viciei logo de cara com Friends. Já era viciada em Full House, com as gêmeas Olsen, que passava no SBT, se não me engano. Então me viciar em um novo seriado de comédia não seria uma tarefa muito difícil.

Toda terça, às 20h, ficava em frente a televisão por meia hora, rindo sem parar, e às vezes chorava com algumas passagens mais dramáticas na série. Chegava na quarta, boa parte da minha sala ficava comentando o episódio. E foi assim até a série acabar. Foi um choque descobrir que Friends acabaria, depois de 10 anos alegrando nossas vidas.
Mas é o ciclo.

Junto com Friends, me viciei em CSI e Law & Order. Adorei as séries policiais. A partir daí comecei a me viciar em várias outras séries.
Olha a minha lista de séries que acompanho, tanto pela TV quanto pela net:
1. Dexter;
2. How I Met Your Mother;
3. Pushing Daisies;
4. CSI;
5. Law & Order: SVU;
6. House;
7. Heroes;
8. Grey’s Anatomy;
9. Desperate Housewives;
10. Breaking Bad;
11. Supernatural;
12. Numb3rs;
13. Painkiller Jane;
14. The Mentalist;
15. Gossip Girl;
16. MadMen;
17. Samantha Who?;
18. Brothers & Sisters;
19. Lost;
20. Ugly Betty;
21. American Idol;
22. SNL;
23. 30 Rock;
Nossa….quantas séries.
E tem gente que assiste bem mais do que eu.

Bom, o post é porque eu li que várias séries estão para serem canceladas porque a audiência americana tá caindo. Mas isso se deve porque os sériemaníacos preferem assistir em frente à tela do computador do que na frente da TV.
A série que está na corda bamba é Heroes. Ano passado a audiência caiu drásticamente por causa de dois fatores: o roteiro mal escrito e a greve dos roteiristas.
Essa segunda causa é que levou o público a baixar as séries ilegalmente na net. Principalmente aqui no Brasil.

Espero que as emissoras americanas não cancelem séries que tem futuro e acabem com as nossas alegrias semanais.

Minha cabeça tá girandooo…

•17/10/2008 • Leave a Comment

[ler ouvindo:]\Não Existe Adeus\, by Hateen

Meo deos! Domingo tenho prova de vestibular e meu estômago doi só de pensar! Eu estou tranquila em relação a prova…Minha preoupação é em relação ao resultado…Assim como todo mundo.

Mas a diferença em relação ao resultado é um pouquinho diferente. Terminei o segundo ano em 2006. Passei no vestibular e tals, mas disseram para mim que o ano de 2007 não seria para me concentrar na faculdade. Eu me perguntava porque.

Já fazia um tempo que minha avó estava doente. E com isso vem as preocupações dos filhos e netos. Em meados de maio, minha avó piorou e em junho teve que ser internada. Ficou na UTI por um mês. Ela tava com bronco-prneumonia e foi piorando, até que ela faleceu no começo de julho. Ela foi internada no dia do aniversário dela, e 31 dias depois, ela faleceu.

Nesse meio tempo, minha mãe, minha tia e minha madrinha se deslocavam todos os dias até o hospital para visitar e falar com os médicos sobre o estado de saúde dela. Minha mãe chegava muito mal. Na UTI só podia entrar duas pessoas da família por turno (são dois turnos, um de tarde e outro a noite). Então só consegui ver ela um dia. E isso me deixou muito mal, porque, poxa vida, ela é minha avó… Umas duas semanas antes da minha avó falecer, minha mãe já pressentia que minha avó não iria sair do hospital, e se conseguisse sair, ela iria sofrer muito. Minha irmã, meu pai e eu também sentiamos isso, então estavamos conformados de que a qualquer hora o telefone podia tocar e trazer essa má notícia.

Esse dia chegou. Na noite que o telefone tocou, eu não conseguia dormir. Eu tava morrendo de sono, mas tinha alguma coisa que não me deixava descansar quando deitava na cama. Quando veio a confirmação, a pior parte foi contar para minha irmã. Eu não consegui falar, só chorei. E ela percebeu e já sabia o que tinha acontecido.

Sou japonesa, então temos alguns “rituais” a seguir depois que uma pessoa da família morre. Fazemos sete semanas de missa (uma vez por semana) para que a família do falecido não se sinta só e entre em depressão. Essas missas servem para colocar nossas cabeças em outros assuntos, para que a pessoa veja lá de cima que está tudo bem e não precisa se preocupar com os assuntos daqui de baixo.

Quando me falaram eu não era para eu estar fazendo faculdade era porque tinha que ajudar minha mãe com os deveres de casa. Ela saia na hora do almoço e [b]eu [/b] tinha que preparar o almoço para minha irmã. Minha mãe chegava quase de noite, então tinha que estar com a janta preparada para que ela não se preocupasse sobre o que fazer para o meu pai comer.

Depois que minha avó faleceu e passou todas as missas, minha mãe ficou doente. Gripe, febre, resfriado, virose, dores de cabeça e nas costas. Então fiquei mais um ano sem poder estudar para cuidar da casa e dela.

Ano que vem tem que ser o ano em que eu vou poder estudar. Eu não ligo de ajudar em casa, mas eu quero ter uma carreira, ganhar meu próprio dinheiro para comprar um carro, pagar as dívidas e tals. Não quero viver as custas do meu pai, que já está na hora de parar de trabalhar. Quero poder cuidar da minha própria vida.

Me desejem sorte nesse domingo…

O VMB já passou, mas a polêmica continua…

•11/10/2008 • 1 Comment

Semana passada teve a 14ª edição do VMB. E com ele, vem as críticas aos ganhadores, ao host, aos shows e etc.
Eu, particularmente, adoro o VMB mais do que o VMA. Porque eu acho isso? Porque o VMB é uma premiação de música brasileira e porque os shows são inesquecíveis e o público é super animado.
No VMB, a direção e a produção – sempre que pode – coloca duas ou mais bandas para tocar juntas no palco. Esse ano teve Pitty e Cascadura para representar o rock baiano, Chitãozinho & Xororó e Fresno representando as diferenças e as igualdades nos dois estilos musicais. E eu adoro isso.

No VMA, tem a premiação, o host é sempre meio sem graça e não cativa muito o público. Os shows são meio mornos e os concorrentes sempre aparecem com cara de poucos amigos.
Mas também nem podemos julgar muito porque o povo brasileiro é acolhedor, divertido. Boa parte dos artistas que fazem shows aqui no Brasil elogiam o país pelo público e como nós somos atenciosos e acolhedores.

As polêmicas que sempre envolvem a premiação é sobre os ganhadores. Depois que acabou o VMB, fui ver o que o pessoal tava falando sobre a premiação na comunidade da MTV no Orkut.
Tinha um tópico falando sobre o Nx Zero. Para quem não sabe, o NX Zero levou os três prêmios da qual estava concorrendo. Ganhou de melhor clipe, Hit do Ano e Artista do Ano, prêmio mais importante da noite. O pessoal que não gosta do estilo de música que eles fazem ficou xingando os caras da banda, falando que só fazem sucesso porque tem um rostinho bonito.
Eu não curto o som que eles fazem, mas minha irmã curte, e consequentemente eu tenho que ouvir. No começo eu queria explodir meus ouvidos à ouvir os caras tocando. Depois percebi que não iria adiantar ficar reclamando e falando mal dos caras. Hoje eu respeito o som que eles fazem e dou parabéns por eles terem conseguido conquistar o público jovem de hoje.

O público que ouvia o rock dos anos 80 também foi jogado aos leões, porque ouviam rock no país do samba. Capital Inicial, Paralamas do Sucesso, Titãs, RPM, Barão Vermelho, Ultraje a Rogor, Renato Russo, Cazuza. Eles tiveram que enfrentar uma maré de xingamentos, críticas e até boicotes porque quiseram revolucionar e passar para o público brasileiro que o país não deveria ser considerado somente como o país do samba. E fizeram muito bem em continuar com as carreiras. Hoje eles são ícones para várias bandas que estão surgindo no cenário musical brasileiro.

Nós vivemos num país que tem a maior miscigenação de etnias e crenças. Se vivemos todos os dias com pessoas de etnias e religiões diferentes, porque não podemos respeitar e conviver com as diferenças musicais também?

Fotos

•27/08/2008 • Leave a Comment

Sem cabeça para escrever! Mas faça óóó quando ver essas gracinhas, okay?